Daniel dos Santos petit

O jovem Daniel dos Santos estava predestinado a seguir os passos do pai carpinteiro. Mas ele é também o herdeiro de um sonho, o da sua mãe, a quem ouve cantar lá no fundo da cozinha, melodias de um país onde ele costuma passar as férias de Verão. As suas primeiras canções foram-lhe inspiradas aliás durante passeatas pelos caminhos no campo que ligam Casaria, pequena localidade no centro de Portugal, à aldeia dos seus primos. O verdadeiro despertar para a música chegará aos 13 anos de idade, quando Dan ouve na rádio o som de uma guitarra acústica acompanhada pela voz da maior estrela do rock francês. Os seus pais oferecem-lhe a primeira guitarra quando o jovem Dan faz 16 anos, não o encorajando no entanto a seguir carreira artística.

Daniel conhece a sua primeira experiência artística integrando um grupo de teatro, mas afirmando-se realmente em Agosto de 1985, e recebe o seu primeiro prémio perto de Aigues-Mortes, no âmbito de um concurso para amadores, enquanto que autor, compositor e intérprete. Após o serviço militar, decide subir ao palco e prepara a primeira audição em outubro de 1988 no «La Louisiane», sitio onde nasce espontaneamente o seu nome de artista, dado o repertório musical bastante influenciado pela América do norte. Quando não canta Dan, são os grandes nomes do Jazz-Blues que passam nas platinas do local. Doravante apelidado Dan Inger, Dan é apresentado ao famigerado cantor dos anos sessenta - Moustique, que para o seu « Come-back » musical, passa a assumir em 1989 a gerência da mítica «Roseraie» das margens do rio Marne em Champigny, cidade onde Daniel nasceu dia 3 de julho de 1967. Para subir ao palco, Dan vai contar com a companhia de músicos profissionais, e muitas vezes mesmo contando com músicos dos seus próprios « ídolos ».


02 DanSe o Folk e o Blues à francesa predominam nos seus dois primeiros discos : « Vivre avec Amour » em 1996 e « Au Belvédère » live em 1998, para o seu terceiro álbum intitulado « Atlânticoblues » editado pela Nextmusic em 2002, Dan tenta nova viragem, com os seus convidados (Lio, Jean-Luc Reichmann, Mariana Ramos, Ricardo Vilas, Bévinda…) para os sons quentes dos países lusófonos fazendo uma viagem musical à volta do Atlântico. Após o seu lançamento em Portugal em julho 2003, este album é citado como « …um dos mais belos discos da temporada », tendo quase uma página inteira no jornal Correio da Manhã. « Le Quatrième », álbum acústico lançado em junho 2007, é coproduzido e co-escrito pela escritora Alice Machado e o jornalista Yann Lavoix (France 2/ RMC). O disco marca o regresso à lingua francesa, embora espreitando sempre as origens latinas do artista.

Dan partilha o palco com Bill Deraime, Little Bob, João Gil, Dulce Matias, Jimmy Tittle… Convidado no mitico New Morning, em La Cigale, etc… Entra em estúdio para gravar com Patrick Verbeke e Rui Veloso o tema simbólico “Rei do Blues”, escrito por Patrick Caseiro. Assina 6 composições do álbum «Montmartre» da banda Pat Kay and the Gajos, editado em 2005. Em 2008 faz-se à estrada com os espectáculos « Rock n’ Mômes » e « On HENRI encore » Tributo ão grande Henri Salvador ; grava com a apresentadora de télévisão Karine Lima e em janeiro 2009 participa na gravação do duplo-álbum «Ruas » da cantora de fado Mísia.

 

Patrick CASEIRO

 

 

logo_pdf

Biografia